Clínica de Hemorróidas

 

Doença Hemorroidária

 

TRATAMENTO DE...


fissura anal


O objectivo do tratamento da fissura é a diminuição da dor e do espasmo esfincteriano que a acompanha assim como obter a definitiva cicatrização da fissura.
A primeira abordagem terapêutica nos doentes com fissura anal crónica deve ser médica, sendo contudo necessário recorrer à cirurgia em cerca de 30% - 50% dos casos.

 

Tratamento médico


Regularização do trânsito intestinal – ingestão de fibras, água, uso de laxantes
Higiene local – banhos de assento
Pomadas anestésicas e cicatrizantes – vitamina A+D, óxido de zinco, sucralfate
Injeções locais:
  - produtos esclerosantes
- toxina botulínica


Tratamento cirúrgico


Indicações

  fissura crónica
fissura complicada de abcesso ,fístula ou estenose
fissura recidivada
   
Técnicas operatórias
  Esfincterotomia - consiste na seção parcial das fibras do esfincter interno diminuindo assim a sua hipertonicidade
Fissurectomia - consiste na exérese da fissura podendo ou não ser associada à esfincterotomia
Anuplastia - consiste em fazer uma plastia, à custa da mucosa anal, após a fissurectomia
   


A técnica mais vezes utilizada é a Esfincterotomia lateral interna que, produzindo um alívio imediato da dor, leva a uma cicatrização da fissura em duas semanas sem grande desconforto no pós – operatório.
A técnica é geralmente realizada sob anestesia geral,em regime de internamento ou ambulatório.
A sua taxa de sucesso ronda os 98%, quando correctamente realizada, sendo contudo de referir a possibilidade de surgir, em alguns casos, uma incontinência ligeira, sobretudo para gases, que pode ir até aos 20% e é geralmente passageira.
Outras complicações raras mas possíveis são o aparecimento de hematoma,abcesso ou hemorragia pós-operatória

 

 
voltar ao topo