Clínica de Hemorróidas

 

PATOLOGIAS


abcesso e fístula anal


O que é


Abcesso e Fístula anal podem ser consideradas fases evolutivas da mesma doença que tem como ponto de partida, na maioria dos casos, uma infecção duma glândula anal (origem criptoglandular).
Esta infecção da glândula anal pode levar à formação dum abcesso anal (fase aguda) que depois de drenado origina ,em 50% dos casos uma fístula anal (fase crónica).
A drenagem do abcesso pode dar-se espontaneamente para dentro do ânus ou para a pele da região perianal levando à formação dum trajecto fistuloso entre o ânus e a pele a que se chama Fístula anal.



Etiologia


Origem criptoglandular ( infecção duma glândula anal ) - 90% dos casos

Outras causas - 10% dos casos :
- Patologia ano-rectal: hemorróidas, fissura anal,cirurgia anal prévia ...
- Doença intestinal inflamatória: doença de Crohn, colite ulcerosa
- Infecção: tuberculose, sífilis, sida, ...
- Neoplasia: cancro do ânus, cancro do recto, doenças hematológicas
- Trauma: lesões penetrantes, corpos estranhos ...

Frequência


As fístulas anais são frequentes entre os 20 e 40 anos sendo raras após os 60 anos.
Os homens são mais afectados que as mulheres ,numa proporção de 4.6 para 1.


Classificação das Fístulas Anais


É feita em função da sua relação com o sistema muscular (esfincter interno e esfincter externo do ânus):
-Fístulas interesfincterianas
-Fístulas transesfincterianas
-Fístulas supraesfincterianas
-Fístulas extraesfincterianas


Sintomas


História de abcesso que drenou espontâneamente ou após cirurgia
Dor anal – em 34% dos casos
Escorrência anal – pús,sangue ou fezes
Tumefação anal ou perianal – 24% dos casos
Hemorragia – 12% dos casos
Diarreia – 5% dos casos
Irritação da pele e prurido



O Médico deve interrogar o doente acerca de:


-História e cronicidade da fístula
-Sintomas sugestivos de abcesso
-Tratamentos efectuados
-Cirurgia anal prévia
-Continência anal
-Existência de factores agravantes (diabetes, sida, ...)
-Doença intestinal inflamatória (colite ulcerosa, doença de Crohn)
 
Meios de Diagnóstico
Exame Anal
Inspeção anal, toque rectal, anuscopia e por vezes rectosigmoidoscopia.
Este exame  deve permitir identificar:
  Oríficio interno e externo da fístula
Trajecto fistuloso
Anomalias do esfincter anal
Lesões associadas
Existência de abcesso
   
Exames Radiológicos
Só nos casos mais complicados como:
  - fístulas recidivadas
- cirurgia anal prévia
- trajectos fistulosos multiplos e complexos
- suspeita de doença intestinal inflamatóriao
   
Exames radiológicos mais frequentes:
 
fistulografia ecografia endorectal ressonância magnética
   
Manometria Ano Rectal
Tem interesse para o estudo da continência anal, antes da cirurgia, nos casos de fístulas complexas e em doentes com traumatismo obstétrico.
   
Colonoscopia Total
permite estudar todo o colon e assim despistar lesões associadas, nos casos suspeitos.
   
 
Diagnóstico Diferencial
Deve ser feito com:
  - quisto pilonoidal
- fissura anal infectada
- neoplasias do ânus ou recto
- supuração de doença de Crohn
- fistula rectovaginal
- infeção das glândulas sudoríparas
 
TRATAMENTO DO ABCESSO E FÍSTULA ANAL

Consultar informação detalhada na área O que fazemos.

 

   
voltar ao topo